há que se cuidar

Há que se cuidar do broto pra que a vida nos dê flor e fruto. Três brotinhos: esse foi o templo que a vida me concedeu nos últimos tempos. Parei. Tive que parar tanta coisa. Tive que começar tanta coisa… A cada um que chegava, rever minha própria chegança. Porque há que se tomar tempo pro tempo de cria. Há também que se ter alma lúcida. Há que muita coisa. Mas também há o que está além do “há que”. Para além do “avental todo sujo de ovo”, comerciais de mamãe-bebê, cartilhas de mãe moderna, todo e qualquer modelo do que ser mãe significa e se ressignifica ao longo de todos os tempos, essa parte da música do Milton trouxe, de repente, de forma linda e sintética, a noção do que é esse ofício: um imenso laboratório alquímico. Ou, se preferir, a figueira debaixo...

todo mundo merece um creditozinho, né não?

Não passe vontade. Compre agora. Pense depois. Pegue já o que é seu. Positive-se. Dedo em riste. Não espere. Aproveite! Últimas unidades. vencedores não esperam. vencedores pegam a oportunidade. vencedores não se frustram. pegam agora e pensam depois. o futuro não existe. mercadorias abundam bundas também. mulheres tem bundas (homens também. mas nenhum quer ser bundão) ninguém merece esperar. pode pagar depois. as mercadorias não merecem esperar. querem ser consumidas. especialmente, se vestirem curtas embalagens fáceis de rasgar.   algumas saem de graça não precisa nem pôr na conta.   algumas já vem cortadas em fatias (só o filezinho, sem osso) e ainda embalando amortecedores de consciência.     Vem, meu bem! tá esperando o que? corre, que...

frases do cão (de se ouvir e acreditar) sobre vida com filhos

normalmente, parecem grandes elogios, ou pequenas piadas. mas são a porta pro fundo do poço. sobre pais: “que sorte que ele te ajuda em casa” “quer dizer que você tem dois meninos na sua casa?” (um é o pai) “que bom que ele é um pai carinhoso!” (oi? não era pra ser?) “nossa, ele trabalha e também ajuda a cuidar dos filhos” (variação das anteriores, mas sintetizando o espanto) (história termina com um moleque-mimado-mimimi  – mas ainda pai – posando de herói e secretamente arrependido de ter se metido nessa “roubada” . Ainda achando que merece uma medalha cada vez que pega o filho no colo)   sobre mães: “como ela é forte!” (como uma mula de carga) “impressionante como...

38 em vênus

olhos irradiam raios apontando nas bordas presentes da maturidade       a tempo: carxs canalhas da indústria-da-estética-padronizadora: meu rosto não é poleiro pra ter pé de galinha. não me importam as marcas. o que me interessa é se elas vão registrar mais sorrisos (sinceros) que tristezas...

as feministas vão destruir o mundo

e rápido.   Porque elas não sossegarão enquanto tudo não terminar.   Elas são Kali. mostram a língua, tem dentes afiados. são o terror, e não vão parar enquanto não fizerem em pedaços todo o tecido fiado pelo pecado original. enquanto Eva for vadia, enquanto Conhecimento for leite de cobra, elas não descansarão.   Invadirão casas com sua intensidade de vida, com seus cheiros de vida, sua sexualidade livre, morderão quilos e  quilos de maçã, sem medo, influenciarão seus filhos e filhas, suas moléculas, seu DNA. Irão banir de nossas células o sofrimento da culpa, do pecado, do controle,     do medo da vida,     não se importarão com o formato dos contornos, dos pelos, mas vão arrepiar seus pelos em êxtase a cada contato de pele....

de quem é a mulher? (ou ainda sobre o debate)

Quando me convidaram pra falar alguma coisa no debate que ia rolar na ESPM sobre feminismo, a violência contra a mulher e o abuso da mídia (mais informações no post anterior), achei que ia estar em casa. Fiquei revirando minhas memórias de mais de 15 anos em ativismo humanista pra buscar uma forma simples e sintética de falar de um caminhão de coisas que o tema “feminismo” sugere. Eu, particularmente, sempre penso na não-violência num campo mais abrangente, mas sei que às vezes as “lutas” tem que tomar formas mais recortadas para melhor representar problemas específicos de violência: sejam eles de desigualdade social, sem-terra, sem-teto, violência contra homossexuais, contra mulher, violências raciais e tantas variedades no cardápio de...