20.01.2009

Hoje acordei de insônia. O Pedro mamou e não dormi. Um bicho, que não o pernilongo, zumbia em minhas orelhas. No ouvido, na verdade. Levantei, atizicada. era quase claro, coisa que na roça é bonito de ver, coisa que aqui tanto faz. Mas ainda há silêncio. Hoje amanheceu com espírito de dia profético. Algo bom. Hoje tem a posse do Obama, mas não tinha a ver com isso (espero que também tenha, no fim das contas) É algum gosto de destino descoberto. Uma porta que se abriu na alma (espero que também na matéria, no fim das contas) No fim das contas No começo de alguma...

crianças invisíveis

Acabo de ver o filme Crianças Invisíveis. Não vou fazer nenhuma crítica. Simplesmente, se você nunca o viu, veja. É arrebatador. Uma onda de comoção imensa me tomou. Chorei, como há muito não chorava. Não foi por tristeza, mas por conexão. Porque ao ver dramas de tantas crianças pelo mundo afora, dramas ficcionais (reais?), poéticos e nossa… juro que não foi por tristeza. Foi alegria de ter me conectado com minha própria espécie, como há muito tempo não fazia. Ando falando muito, ando sentindo pouco. Hoje me dei conta disso, e algo descongelou. Fica uma gratidão aos atores mirins que tomaram de outros a sua história, ludicamente representada. Fica a certeza de uma necessidade: Tornar o mundo bonito, acessível, justo. Especialmente, justo. Renova todas as...