criando

não que me sinta obrigada a justificar silêncios… mas para os que passam por aqui de vez em quando, quis deixar um recado: ando metida em outras criações. na vida, meninos. na tela, uma peça que há três anos desafia minhas certezas. nessa casa do delírio, onde entro por saudade, deixo uma imagem da alegria do presente. pros mais chegados, é só chegar em casa e tomar café ao vivo. 😉...

onde está você?

por isso, meu bem, solidão é ilusão chegamos em plena fusão um só corpo, duplo coração   e se a vida não for em vão teremos ligado estrelas, cada toque, um traço, duplo corpo, uma só coesão (cada ser, uma conexão)   té partirmos rumo ao desenho a soma de todos os laços o alto igual ao de baixo sem dentro sem fora, só vôo pro centro da constelação