notas de fim de estação

às vezes, o motivo da agonia é querer folhas verdes outonais.

primeiro setênio!

  doce alma em sempre música nosso menino-passarinho sabedor do reino dos silêncios fantasia, em sua mente, mil castelos dourados só para dividir com quem ama o sol do seu encantário Nesses castelos, inclui a nós todos, família, amigos, seres imaginados, somos todos viventes em seu mundo cabemos todos em seu enorme coração (sempre acompanhado de abraço) menino-vento, menino canto, agora um ciclo completa. o mundo de fora, agora, é descoberta. vai, e leva a ele seu sorriso que a vida é boa, meu filho,  e ainda melhor com você. feliz 7 anos!...

canto do templo daquelas que riem

há um templo. há um trono. nesse trono, sentadas em  pérola, precioso grão-fonte de puro prazer, somos. nesse ser, geradas em festa, encobertas por véus da floresta dos sonhos, emergimos e aí, num coro oscilante pulsando nas palmas da pura alegria, dançamos, cantamos, subimos, assim liberamos fluidos de lua na noite estrelada dos ternos delírios acendemos fogueira de cura na terra sulcada de tensos abismos ofertamos, no topo da torre, o gosto da vida banhada de rios e lambemos o gosto orvalhado da pele lustrada de gozos e risos....