o menino de olhos brilhantes

Sem voz há dois dias, com choro enrustido parecendo pecado se saísse em tempos de tanta demanda na fortaleza. No carro, na via travada de sempre, com tanta coisa à frente impedindo a passagem, com tanto excesso, ruído. Secretamente, eu adicionava mais uma memória à minha coleção de fracassos, cansada demais pra ter raiva, ou com raiva demais pra entender alguma coisa. Um mar ao fundo. Água salgada à espreita, muita água. Quem disse que é tempo de seca? Um anúncio hipócrita da Sabesp no rádio, que desliguei num ímpeto de quem dá em alguém um tapa na cara. Se eu me desaguasse inteira ia dar inundação. Um par de olhos me enxerga. Um par de olhinhos puxados de quase dois anos me observa no banco de trás. Puxa meu foco. Ti foi, mamãe? Como ele sabe? Como pode saber?...

o novo ovo da vez

quem nasceu primeiro, a fé ou a paciência?

tô com marte na macaca

    Você me ameaça e envenena chantagem de luto e escassez E eu, só de pirraça, não caio nenhuma vez. Você diz que a coisa é séria faz cara de sisudez Eu concordo, é séria mesmo mas fio e confio, ao invés. Você gosta de ser VIP, eu quero pra todo mundo Você vem com dados pobres, eu te devolvo futuros Você quer o meu deserto, eu te dou uma floresta. Você vive numa guerra Eu gosto de amor e festa. Mas você me chamou pra briga, então aguenta esse encosto: que agora não largo esse osso e não estou sozinha nessa....

uma fera por dia

Outro dia, tava assistindo com os meninos As Crônicas de Nárnia. Era a primeira vez deles, e por incrível que pareça (porque eu amo esse tipo de história) para mim também. Para quem não é iniciado nesse universo, essa é uma série de livros (que viraram filmes) sobre quatro irmãos que descobrem a passagem para um reino fantástico, repleto de aventuras. (quem quer saber mais siga o link) Como em todo filme de aventuras que se preze, ele é repleto de muitos desafios. No primeiro da série, num dado momento, cada um dos irmãos recebe um “presente”, um instrumento que possa utilizar para enfrentar os perigos. Pois bem, o mais velho deles, chamado Pedro, ganha uma espada. E só sobre ele o assunto. Pra que serve uma espada? Pra se defender, claro. E para...