boca a boca

  Na madrugada do eclipse, a cidade tremeu em tempestade. Pela manhã, a surpresa: a potência das (abençoadas) águas inundou a nossa biblioteca. Coisa que às vezes passa, mas me pegou desprevenida… alguns livros queridos, deixados no tapete depois de mais uma vez visitados, amanheceram recheados de chuva. “Estragaram”, um pensamento súbito-consumista-imediatista. Mas depois, olhando com mais cuidado, relendo nas páginas ensopadas o choro sutil da primeira folheada, vi que as águas trouxeram à superfície impressões antes invisíveis: as noites e noites de risos e brincadeiras inventadas a partir daqueles desenhos, o calor das mãos que tantas vezes abriram os portais pra tanto carinho, a delícia de uma voz que lia as primeiras frases...

mais um filho.

  Na próxima terça-feira, dia 22 de setembro, virada pra primavera, lua crescente, lá vem mais um broto na história da minha vida. um livro. Já fiz filmes e peças pra teatro. O frio na barriga é parecido, mas livro a gente pode carregar debaixo do braço, que nem filho mesmo. Tem uma coisa aqui que difere, que rasga mais, que expõe demais, mas nem por isso é ruim: só tem uma potência tão avassaladora que eu não sei o que fazer com tudo isso até chegar o dia. E hoje ainda é sexta. Tudo em mim vibra, tudo em mim grita, vertigens à flor da cabeça, suspiros na pele, horas alongadas, nada no lugar, treme o chão, choro, riso, frio, calor, arrepio, alegra-se o espírito. É isso, afinal, estar...

As Crianças do Arco-íris

  AS CRIANÇAS DO ARCO-ÍRIS Eles eram inseparáveis: uma turminha de estrelas coloridas e brilhantes, que passava o dia todo brincando e se divertindo. Adoravam se jogar de um asteróide de mãos dadas, feito estrela cadente, formando um arco-íris por onde passavam. Eram pura alegria. Lá do céu, sempre avistavam uma bola linda e azul que parecia sorrir para eles. Quando descobriram que se tratava de um planeta onde viviam pessoas muito diferentes entre si, decidiram que queriam ir para lá. Adoravam novidades. Então correram para a lua, onde as estrelas faziam seus planos para virarem crianças na Terra. Chegando na base lunar, encontraram os anjos que ajudavam as estrelinhas na sua descida para o planeta: eles escolhiam onde queriam nascer, como gostariam de...