do outro lado do mundo aqui

   líricas

preciso desabar, mas estou a caminho.

,num coletivo, com minha dor somada a tantas outras. tantas mais graves.

o que será que acontece com o choro não chorado? coagula em cólera? empedrece em mágoa? engelece-indiferença?

e se a água de mim é salgada, posso fingir, então, que vislumbro mar distante. de tão perto que de repente fica, vaza um pouco pelos cantos. pelas bordas ciliares.

assim justifico lágrimas caídas em público, sem a menor explicação. desculpe, é a natureza, pelo descuido, em tsunami.

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: