rastros de sonhos acordados

   crônicas ou coisa parecida ô de casa!

sempre atenta a tudo,

vigilante,

às vezes caio no sono. caio do cavalo. caio no rio.

ainda viva, levanto a cabeça pra fora das águas. agarro num tronco em plena correnteza.

sou salva pelo pedaço de madeira.

valente, coloco-me de pé na margem. busco fuga da emboscada.

mão no coldre, sempre alerta. aviso aos companheiros que a situação é crítica.

durmo mais.

por detrás,

vem a bala. cedo ao tiro, praguejando: Então o velho Marshall me pegou!

então, morrendo (e só assim), percebo, lúcida:

sou eu, mulher,

mas era eu, caubói.

Malditos filmes americanos!

Nenhum comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: