canto do templo daquelas que riem

há um templo.

há um trono.

nesse trono, sentadas em  pérola,

precioso grão-fonte de puro prazer,

somos.

nesse ser, geradas em festa,

encobertas por véus da floresta dos sonhos,

emergimos

e aí, num coro oscilante

pulsando nas palmas da pura alegria,

dançamos,

cantamos,

subimos,

assim liberamos fluidos de lua na noite estrelada dos ternos delírios

acendemos fogueira de cura na terra sulcada de tensos abismos

ofertamos, no topo da torre, o gosto da vida banhada de rios

e lambemos o gosto orvalhado da pele lustrada de gozos e risos.

 

orquidia

Claudinha querida.Tão lindo verdadeiro e palpável, tudo o que vc descreve..Lembrando da primeira vez que nos encontramos com a Karina aqui…te falei que eras, uma guerreira das estrelas..Lembra?
Pois é querida, somos pó de estrelas e estamos aos poucos relembrando, nossas origens na essência de Ser e Existir…
Cada passo…. É, um novo descobrimento de nós mesmos….somos o microcosmos navegando nas estrelas do Macrocosmos.
Parabéns!

1 comentário

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: